Como vender mais enviando menos campanhas de email: dicas de segmentação



Por   

 20/11/2017 

A RD nasceu no Brasil, em 2011, com o objetivo de ajudar empresas de todos os portes e segmentos a entender e a aproveitar os benefícios do marketing digital, conquistando resultados reais e efetivos para seus negócios.

O email marketing é uma estratégia de comunicação bastante interessante e eficiente na hora de divulgar a empresa ou compartilhar conteúdo. Porém, na hora de estruturar uma campanha nesse canal, muitos empresários cometem erros que colocam em xeque o bom andamento e os resultados da ação.

São vários os motivos que podem prejudicar uma campanha de email marketing. A qualidade da sua lista de contatos — afinal, pode conter pessoas que não se interessam pelos seus produtos ou serviços —, a quantidade de mensagens enviadas em curto espaço de tempo, o conteúdo e linguagem usados, dentre outras razões.

Porém, um dos erros mais comuns é a falta de segmentação dessas campanhas. Geralmente, empresários e gestores disparam as mensagens para toda a sua base.

Isso acaba esbarrando em alguns problemas: algumas pessoas simplesmente não estão interessadas naquele conteúdo/oferta ou não estão no momento certo de compra.

Na hora de estruturar uma ação de email marketing, portanto, é preciso considerar algumas coisas para que ela tenha sucesso:

  • Quem são as pessoas que vão receber o email?
  • Esse conteúdo ou oferta interessa a elas?
  • Elas gostariam de receber essa mensagem?
  • Em qual etapa do funil de vendas elas estão?

Segmentar e diminuir a lista de destinatários ajuda a tornar uma campanha de email marketing mais eficiente, pois o conteúdo e as ofertas são direcionadas àquelas pessoas que realmente podem se interessar por elas. Nesse caso, o menos acaba se tornando mais.

Dica: Estratégias de Marketing Digital: como isso impacta nos meus resultados?

O que é necessário para criar uma segmentação

Na introdução deste artigo mostramos algumas questões que precisam ser levadas em consideração na hora de elaborar uma campanha de email marketing. Elas vão te ajudar a direcionar melhor as suas ações, porém, é necessário ir além para que a campanha seja bem-sucedida.

Basicamente, serão necessárias três coisas.

  • Informação
  • Processos
  • Tecnologia

Vamos falar sobre cada uma delas abaixo:

1. Informação

Se tem uma coisa de grande importância para a comunicação e o marketing é a informação. Conhecer seus objetivos, suas possibilidades, seu segmento e seus clientes é fundamental para se destacar no mercado e criar mecanismos eficientes para crescer o seu negócio e fortalecer a sua marca.

Quando falamos de segmentação, a informação é essencial, pois sem ela não há como criar campanhas direcionadas a públicos mais específicos.

Imagine a seguinte situação: enviar uma oferta com descontos de roupa de frio para uma pessoa em Porto Seguro, em pleno verão. As chances dessa ação dar errado são enormes!

Por isso, conhecer as pessoas com quem se relaciona é importante para uma divulgação de sucesso. É preciso se informar sobre a sua base de contatos e, para isso, é necessário garimpar esses dados. Durante esse processo são muitas as fontes que você pode utilizar.

No marketing digital, por exemplo, os formulários de landing pages são essenciais para conseguir as informações mais relevantes de seus possíveis consumidores e melhorar a segmentação da sua campanha. Mas há outras formas: cadastro dos clientes, histórico de compra, visualização de produtos, entre outras possibilidades.

2. Processos

Já tem as informações em mãos? Então está na hora de pensar em como essa campanha será executada. Não basta criar a ação e enviar, é preciso pensar e planejar todos os aspectos envolvidos no email marketing — desde o conteúdo até a linguagem que será usada na divulgação.

Não é errado definir o que será ofertado antes de pensar o público, mas fazer o contrário — determinar o público e, assim, pensar a oferta — torna mais fácil a criação da campanha e ainda aumenta significativamente as suas chances de obter sucesso. Afinal, você já sabe exatamente quem pode estar interessado naquele produto ou serviço.

Além disso, cada público se comporta de uma forma e, por isso, a linguagem usada influencia bastante os resultados. Enviar um email extremamente formal para um público jovem, por exemplo, pode significar o fracasso da sua ação. O mesmo acontece com o uso de uma linguagem recheada de gírias atuais para um público mais velho ou mais corporativo.

Portanto, defina qual é o público que pretende atingir, estabeleça uma oferta direcionada a ele e desenvolva uma linguagem adequada ao perfil daquelas pessoas.

3. Tecnologia

A segmentação pode parecer complicada em um primeiro momento. Dá até para se imaginar abrindo uma planilha no Excel ou um documento no Word para cada um dos grupos ou perfis dos consumidores e, lá, ir armazenando as informações de contato e hábitos de consumo. Nós cansamos só de pensar no trabalho!

Porém, se usamos a tecnologia a nosso favor, tudo fica muito mais fácil. É possível usar ferramentas para criar o material, formatar a landing page, segmentar, criar a campanha, enviar para as pessoas e analisar resultados.

A melhor forma de fazer isso é usando uma plataforma de marketing digital. Quanto mais completa a ferramenta, maior será a produtividade do time de marketing e maior será a confiabilidade das informações cruzadas

Como segmentar uma campanha de email: 4 opções

Depois de conseguir a informação e pensar com cuidado no processo de elaboração da campanha, é hora de partir para a segmentação em si. Confira alguns dos exemplos mais utilizados entre as empresas:

  • Persona: conforme o perfil do público que pretende atingir;
  • Área de atuação da empresa: se você pretende divulgar ofertas de saúde, por exemplo, então é importante despachar mensagens para pessoas ou companhias que atuam nesse setor;
  • Localização: nesse caso, observa-se a demanda por região e envia ofertas para pessoas que moram no local alvo da ação;
  • Histórico de contato: se o cliente já teve contato com a sua empresa ou consumiu com você, então é possível usar essas informações para direcionar novas ofertas e mantê-lo em sua carteira.

Esses são só 4 exemplos de segmentação. O ideal é sempre ir testando novas formas e personalizar cada vez mais o contato com sua audiência. Quanto mais segmentado for o email, melhor será a taxa de abertura, de clique, de conversão e de vendas.

Como você viu, a segmentação é um fator essencial para o sucesso de uma estratégia de email marketing, mas não é o único. Você precisa saber como construir a sua própria base de emails, como implementar uma rotina e quais são os principais indicadores para monitorar. Se você quiser saber como fazer isso, além de receber dicas para otimizar a eficiência do envio de emails, confira o eBook: "Email Marketing: a chave para a vantagem competitiva."

Email marketing: a chave para a vantagem competitiva



Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!